sexta-feira, 12 de abril de 2013


PETRA – JORDÂNIA
 


A história menciona que a ocupação da região de Petra ocorreu cerca de 1.200 anos a.C, tendo sido ela parte de uma rota comercial entre a Península Arabíca e a Síria.

Aproximadamente três séculos antes de Cristo, os nabateus passaram a ocupar a região e Petra foi designada como sua capital, tornando-se ponto de encontro de caravanas.

Posteriormente, Petra esteve sob o domínio romano, tendo sofrido terremotos ao longo de sua história, inclusive durante grande período de tempo esteve “perdida”.

Feita esta pequena introdução, é necessário dizer que Petra impressiona!

Chega-se ao local através de estradas razoáveis, parando-se na cidade. A partir daí, faz-se uma boa caminhada (para os mais dispostos) para se ter acesso àquelas imagens de filme (lembram de Indiana Jones e a Última Cruzada?).


Os mais preguiçosos podem alugar um cavalo para chegar à entrada do desfiladeiro que dá acesso a Petra, mas o bom mesmo é curtir cada pedacinho, prestando atenção aos detalhes.

Inicia-se então a caminhada pelo desfiladeiro (dos dois lados passava o aqueduto que abastecia a cidade), até que, de repente, perde-se o fôlego!



Entrevê-se o Tesouro! Isso mesmo, aquela imagem do filme de Indiana Jones!


 
Depois disto, anda-se um pouco mais e se inicia a série de construções escavadas nas rochas e acaba-se por se compreender porque Petra é chamada de a cidade rosa!


 

 
De resto, é somente explorar o local, andar muito ou alugar um taxi (camelos, jegues) e driblar a enormidade de vendedores de todo o tipo de produtos que existem no local, como aliás, em qualquer lugar árabe.


 
No fim, o cansaço, mas a alegria de ter visto uma das sete maravilhas do mundo!


Um comentário:

  1. fantastico, simplesmente maravilhoso esse post.

    ResponderExcluir